Select Page

vida apos a morte experiencia espiritualApesar do nome “vida após a morte” possa ser bastante impactante, na verdade vamos falar sobre algo muito natural na vida de um buscador espiritual, e como isso pode auxiliá-lo e aos outros também.

É algo que o Cristo disse como:

“ Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer de novo não poderá ver o Reino de Deus.”
Nicodemos perguntou-lhe: Como pode um homem renascer, sendo velho? Porventura pode tornar a entrar no seio de sua mãe e nascer pela segunda vez?
Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não renascer da água e do Espírito não poderá entrar no Reino de Deus.
O que nasceu da carne é carne, e o que nasceu do Espírito é espírito.
Não te maravilhes de que eu te tenha dito: Necessário vos é nascer de novo.
O vento sopra onde quer; ouves-lhe o ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece com aquele que nasceu do Espírito.
João 3:3-7

 

 

Na verdade, não está se falando de forma alguma da morte física nem de uma EQM (experiência de quase morte) . Trata-se do homem, ainda vivo, ter uma vida completamente nova.

Isso é algo que os buscadores e praticantes espirituais experimentam no decorrer das suas vidas. Pude ver isso na minha própria vida, na minha avó e também em diversos colegas do nosso Centro Sri Chinmoy. Em alguns dos casos pude até presenciar toda a transição, do zero ao renascimento (que, diga-se, não tem fim antes da completa perfeição).

Na maior parte das vezes, não acontece nada muito espetacular do ponto de vista mágico. Mas a pessoa muda. Ela ganha um brilho especial no sorriso, um brilho raro. Um brilho nos olhos. Um brilho nas palavras. Um brilho no silêncio.

Coisas que não eram importantes passam a ser primordiais. Satisfação genuína – um sentimento de preenchimento – uma meta clara e real para a vida – a certeza inamovível de estar fazendo a coisa certa.

Coisas que eram primordiais parecem de repente superficiais – como sonho vazio que acaba e nos descobrimos tendo uma vida real.

O caminho normal e natural é através do nosso anseio interior por transformação, por luz, por verdade, por vezes com momentos marcantes. Aí chegamos no próximo ponto.

Escrevendo suas experiências espirituais

Na nossa jornada, por vezes nos deparamos com experiências especiais. Às vezes é uma pequena oração que é atendida. Algo que nos faz lembrar de que o nosso Pai está sempre cuidando dos filhos, por vezes agradando-os com pequenos regalos.

Eu vez eu estava voltando para casa, um pouco chateado, pois o dia tinha sido bem difícil e eu não tinha ficado bem equilibrado. Eu voltei para casa, e até pensei, falando com o Mestre: “Guru, bem que podia ter algo, como uma carta dos meus amigos, para mim.” Cheguei em casa e abri a caixa de correio sem esperanças. Lá estava uma carta de um amigo de San Francisco, o Hiyamallar, junto com uma das canções de Sri Chinmoy com dez páginas de comprimento! São 20 minutos cantando sem parar! Eu chorei ao ver o que o Guru tinha feito por mim, só para me consolar. Ele talvez já soubesse até que eu ia ter um dia assim e que ele gostaria de me fazer sentir amado e cuidado por ele, e por isso criou todo o plano.

Ou são experiências maiores. Fazemos algo, tomamos uma decisão importante para a vida ou temos uma meditação extraordinária e sentimos por um momento a felicidade da alma. Eu já tive essa experiência – quando terminei o relacionamento que tinha com a pessoa que seria a minha esposa. Nós dois sentimos que tínhamos metas diferentes, então não valeria a pena um atrasar o outro. Eu estava um pouco choroso, mas, ao mesmo tempo, repleto, absolutamente repleto de uma felicidade que eu nunca tinha experimentado antes.

Escrevi também uma experiência de sonho que tive, relacionada com a iniciação.

Apesar de eu ter contado algumas experiências, o importante e mais recomendado é você guardar elas para você. Quando estiver passando por dias de dúvida da sua prática, ler esses escritos irão ajudá-lo imensamente. Mesmo grandes almas como Swami Vivekananda usaram desse artifício divino.

Comece hoje, pois o tempo corre mais rápido na vida espiritual, e a memória fica para trás!

 

Como interpretar sonhos e visões interiores

Sri Chinmoy: Há outra coisa importante que gostaria de dizer. Sempre que tiverem sonhos ou visões, por favor, não tentem interpretá-los ou pedir a outras pessoas que os interpretem, pois vocês vão cometer um erro terrível. Se vocês tiverem uma visão ou uma experiência interior, mergulhem profundamente em seus interiores e descubram o significado ou me perguntem sobre o significado. Se tiverem uma experiência maravilhosa, escrevam para mim. Posso não responder exteriormente ou dar uma mensagem interior específica, mas vou abençoá-los e apreciarei suas experiências. Se tiverem uma experiência realmente divina, meu ser interior saberá imediatamente.

Meditation: God´s Duty and Man´s Beauty, p. 55-56

 

Todas as experiências são boas?

Pergunta: Venho tendo experiências telepáticas com pessoas que se chamam de mágicos. Converso com eles enquanto estão em outros lugares. Posso entrar nesse reino quando quiser. Estou curioso em saber como você responderia a essas experiências.

 Sri Chinmoy: Do mais elevado ponto de vista espiritual eu gostaria de responder à sua questão. Essas experiências o ajudarão a ir mais rápido em direção à sua meta? Não, não ajudarão. Essas experiências são fascinantes, indubitavelmente, mas nunca o levarão à realidade. Pelo contrário: elas são tentações noseu caminho para a realização em Deus, a elevadíssima Verdade. Em nossa vida espiritual, muitas vezes temos experiências fascinantes e não queremos mais aspirar. É verdade que essas experiências podem nos incentivar, mas muitas vezes, quando temos experiências demais, entramos no mundo vital. Vemos um caleidoscópio: vemos todos os tipos de coisas belas, mas elas são só tentações. Suponha que você esteja andando por uma rua em direção a um lugar específico. Se vê árvores, flores e lagos bonitos pela rua, o que acontece? O cenário é tão bonito que você acaba descansando. Você diz: “Deixe-me ficar aqui e apreciar isso,” e então para e aprecia a paisagem. Mas o seu destino permanece uma meta distante.

Um buscador sincero sabe que a meta dele é a Verdade mais elevada. Ele não adiará a jornada. Mas, no seu caso, posso ver que você aprecia essas experiências; você dá a elas a sua atenção consciente. Isso é muito errado. Na vida espiritual, aspiramos pela mais alta Verdade, por Deus, e por nada mais. Essas experiências são verdadeiras tentações para você. Você deveria sentir: “Tendo realizado Deus, terei experiências infinitamente mais belas, significantes e frutíferas”. Com essa idéia, você deveria deixar de lado essas experiências telepáticas. Se sente que entrando nessas experiências ou permitindo que elas entrem em você, acalentando-as, conseguirá experiências mais elevadas, está enganado. Você não irá nem um pouco mais adiante. Se insistir nelas a toda hora, se estiver constantemente fascinado por elas e sentir que é parte delas, será pego por essas experiências. Muitas pessoas cometeram esse engano, e para elas a realização em Deus permaneceu uma meta distante.

Buscadores sinceros tomam essas experiências como obstruções no caminho. Por favor, não dê atenção a esses tipos de experiências. Elas são fascinantes, mas não estão satisfazendo a sua vida de dedicação, realização e manifestação. De manhã cedo, tente silenciar a sua mente. Se conseguir silenciar a sua mente, não terá essas experiências. Elas estão vindo do mundo vital até você. Você está acalentando essas criações do mundo vital e tentando colocá-las à sua disposição, como se fossem muito suas. Mas elas não podem levá-lo à Meta mais elevada. Se a sua intenção é o Altíssimo, então essas coisas têm de ser descartadas. Quero que você vá até alguém que o inspire a entrar no reino da pura aspiração. Você será capaz de trazer à tona a luz da sua alma e correr o mais rápido possível em direção à Meta mais elevada.

Fifty Freedom-Boats to One Golden Shore 6, p.71-73

 

 

Contando suas experiências interiores aos outros

 

Pergunta: Você pode explicar o valor de tentar contar aos outros suas experiências interiores?

Sri Chinmoy: Alguns Mestres aconselham seus discípulos a compartilharem suas experiências apenas com eles. Na maioria das vezes não é aconselhável compartilhar as experiências interiores de alguém com outros. Suponha que você tenha tido uma muito elevada esublime experiência.Mesmo se você contá-la a seu amigo mais íntimo, o ciúme dele poderá tentar devorar a riqueza, a realidade viva da sua experiência. Ocorre algumas vezes que ao dividir suas experiências com um iniciante, este irá tentar ter a mesma experiência de qualquer jeito.Na vida espiritual isso nunca acontece. O progresso espiritual é um processo lento, constante e gradual. Por você ter provado uma manga e me contado, eu poderei talvez subir na mangueira.Mas se não souber como subir, ao tentar eu cairei e irei me machucar. Outra coisa: se você contar suas experiências interiores para outros, o orgulho humano deles poderá entrar em você.

Experiências interiores somente devem ser compartilhadas com a permissão do Mestre.

Se a pessoa não tem um Mestre,deve então mergulhar dentro de si profundamente e ouvir os ditames da sua alma. Se a alma ou o Mestre pedir a um ao buscador que compartilhe suas experiências com o resto do mundo, não haverá problema então. Pode ocorrer nesse caso que se a pessoa contar suas experiências, seus amigos fiquem inspirados a entrar no mundo de aspiração. Porém é sempre aconselhável perguntar ao Mestre ou ir fundo dentro de si, para saber quando se deve compartilhar suas experiências. De outra forma isso poderá criar resultados imprevistos e deploráveis para o próprio buscador ou para os outros com quem ele tenta compartilhar suas próprias experiências.

Earth-Bound Journey and Heaven-Bound Journey, p. 62-63

 

Pergunta: Quando estamos no mundo exterior, estamos livre e desimpedidos para falar de nossa vida espiritual ou devemos reservar isso só para os que aspiram?

Sri Chinmoy: Se você falar sobre suas experiências, poderá ficar em apuros.O solo tem que estar fértil. Se as pessoas são genuínas e sinceras, então sua conversa será frutífera. Do contrário, eles terão todo o direito de não compreendê-lo e ridicularizá-lo.Você pode não se importar se alguém zomba de você, porém a pessoa que não se beneficiou ou não se inspirou com o que você disse, infelizmente poderá tentar bloquear sua própria inspiração e aspiração. Nós devemos então usar nossa sabedoria que ele também é uma criança de Deus; deixe o momento do seu despertar chegar na Hora escolhida por Deus.Não é da sua conta acordá-lo. Quando alguém está pronto, clamando por uma vida mais elevada, aí então é a hora de você acordá-lo do sono que é a ignorância.

Se você der uma nota de mil dólares para uma criança, ela a rasgará. Para ela a nota não tem valor. Porém um adulto saberá o valor dos mil dólares. Similarmente quando você compartilha suas experiências interiores com um aspirante ou buscador, ele irá se beneficiar com isso. Ele sabe quão difícil é ter uma experiência interior. Aqueles que clamam pela vida interior, são as pessoas certas para compartilhar suas experiências.

Realization-Soul and Manifestation –Goal, p. 46-47

 

Experiências espirituais verdadeiras e falsas

 

Pergunta: Como posso dizer se as minhas experiências interiores são genuínas ou falsas?

Sri Chinmoy: Se ficar em dúvida quando tiver uma experiência interior, concentre-se no coração. Se a experiência for genuína, você vai sentir uma sensação sutil de formigamento. Se sentir como se uma formiga estivesse escalando ou se arrastando no seu coração, então saberá que a sua experiência é genuína.

Quando tiver uma experiência interior, tente respirar tão lenta e silenciosamente quanto possível, e sinta que está trazendo pureza ao seu sistema. Sinta que a pureza está entrando em você como uma linha e está girando ao redor do seu umbigo. Se você sentir que o seu coração espiritual não está disposto a entrar no seu umbigo, então a sua experiência é uma mera alucinação. No entanto, se o coração entra de bom grado no umbigo, esteja certo de que a sua experiência não é uma alucinação; é absolutamente verdadeira e genuína.

Quando tiver uma experiência e quiser saber se ela é válida, tente sentir por alguns minutos se você cresce naquela experiência ou não. Se sentir que pode crescer naquela experiência, mais cedo ou mais tarde, em uma hora ou duas, ou em um dia ou seis meses, então a sua experiência é genuína. Porém, se sentir que a realidade é alguma outra coisa e você nunca vai poder crescer naquela experiência, então ela não é genuína.

Quando tiver uma experiência, tente separar a sua vida exterior da sua vida interior. A vida exterior é uma vida de necessidade, demanda e exigência. A vida interior também é uma vida de necessidade, mas é da necessidade por Deus, não da sua necessidade; das exigências de Deus, não das suas demandas ou exigências. Tente sentir se é a necessidade de Deus que está operando em e através da sua experiência, se Ele precisa de você e quer satisfazer a Si mesmo em e através de você. Se você pode crescer nesse tipo de sentimento ou realização, a sua experiência é genuína. No entanto, se você se identifica conscientemente com as suas exigências, então a experiência não é verdadeira. É só uma alucinação.

Meditation: God’s Beauty and Man’s Duty, p. 45-47

Páginas relacionadas

Com que idade podemos começar a ensinar uma crianç... Abaixo uma resposta muito interessante a uma pergunta feita a Sri Chinmoy sobre com que idade podemos ensinar nossos filhos a meditar. Veja também...
Sites de meditação no mundo O Centro Sri Chinmoy oferece cursos de meditação em diversos lugares do mundo. O intuito é compartilhar dicas, experiências e um estilo de vida...
Meditação para passar em concursos públicos por Patanga Cordeiro “O servidor público internacional deve sempre mergulhar fundo de si para fortalecer sua dedicação e aumentar sua unicidade com s...
Lista de sites sugeridos Alguns sites com páginas novas e notícias quase todos os dias   srichinmoy.tv vídeos com diversos temas – dos discípulos, de Sri Chinmoy,...