Select Page

meditacao e imaginacao

Palestra de Sri Chinmoy proferida nas Nações Unidas sobre o tema da paz interior e a paz exterior.

A paz é o nosso direito de nascimento: como podemos encontrá-la?

Há dois tipos de paz: a paz interior e a paz exterior. A paz exterior é uma concessão do homem. A paz interior é a satisfação do homem. A paz exterior a á transformação do homem sem a sua satisfação. A paz interior é a satisfação do homem em ser completamente e supremamente preenchido.

Como pode a paz exterior ter a mesma capacidade da paz interior? A paz exterior pode ter a mesma capacidade se e quando a criação do homem e a criação de Deus tornam-se inseparavelmente uma.

Qual é a criação do homem? Neste momento, a criação do homem é o medo. A criação do homem é a dúvida. A criação do homem é a confusão. O que é a criação de Deus? A criação de Deus é o Amor. A criação de Deus é a Compaixão. A criação de Deus é o Cuidado.

O medo é a formiga mais indefesa do homem. A dúvida é o elefante mais selvagem no homem. A confusão é o tigre devorador no homem. Não há uma grande distância entre o medo que o homem acalenta e o seu medo forçado. Duvide de Deus, e o perdão lhe será garantido. Duvide de si mesmo, e a sua completa destruição será decretada. A confusão de ontem foi o início da sua insinceridade. A confusão de hoje é o início da sua insegurança. A confusão de amanhã será o início da sua futilidade.

O Amor de Deus pelo homem é a aspiração do homem. A Compaixão de Deus pelo homem é a salvação do homem. O Cuidado de Deus pelo homem é a perfeição do homem.

A busca preenchedora e satisfeita do homem pelo Real é a paz. Deus o Amor é o Convidado eterno do homem nos mais profundos recônditos do seu coração. Deus a Paz é o Anfitrião eterno nos mais íntimos recessos do Seu Coração. É por isso que infalivelmente e certamente consideramos a paz amorosa e satisfatória nosso direito de nascimento.

Como podemos ter paz – mesmo uma gota de paz – na nossa vida exterior, em meio à correria da vida e nossas múltiplas atividades? É fácil: temos de escolher a voz interior. É fácil: temos de purificar nossas emoções impuras.

A voz interior é o nosso guia. Os pensamentos aprisionadores são o clima escuro e imprevisível. A emoção impura é a tempestade interior. Temos sempre de ouvir a voz interior. Ela é a nossa proteção certa. Temos de ser cuidadosos com nossos pensamentos aprisionadores. Esses pensamentos possuem tremenda vitalidade. Devemos nunca permitir que inchem e se tornem tornados. Temos de enfrentá-los e dominá-los. Esses pensamentos são absolutamente não essenciais, e não temos tempo para nos preocuparmos com coisas não essenciais. Se queremos a paz interior e exterior, temos de nos abster do luxo da tempestade emocional. A emoção impura é uma frustração imediata, e a frustração é o precursor da completa destruição interior e exterior.

Para escolhermos a voz interior, temos de meditar de manhã cedo. Para controlar e dominar nossos pensamentos não divinos, temos de meditar ao meio-dia. Para purificar nossas emoções obscuras e impuras, temos de meditar à noite.

O que é meditação? A meditação é a percepção constante e a aceitação consciente de Deus. A meditação é o oferecimento incondicional de Deus ao homem.

A paz é o início do amor.

A paz é o completamento da verdade.

A paz é o retorno à Fonte.

-Sri Chinmoy

Páginas relacionadas

Benefícios da meditação comprovados cientificament... Preciso da minha saúde física Todos os dias Preciso da minha saúde espiritual Constante e incansavelmente. - Sri Chinmoy, My Christmas-New...
Como controlar a ansiedade sem usar a meditação Qual a melhor forma de superar a depressão? Sri Chinmoy: Quando você estiver deprimido, tente sentir conscientemente que se forçou a carregar um fa...
Patanga Cordeiro – quem sou? Olá! Eu sou o Patanga e escrevi várias páginas e organizei uma boa parte do site, além de dar cursos de meditação presenciais. Na verdade, perce...
Por que a morte é necessária? Por que a morte é necessária? Textos de Sri Chinmoy, do livro Morte e Reencarnação Mais sobre morte e reencarnação        Por que a ...