Select Page

mundos superiores

Mundos inferiores e superiores

Abaixo algumas perguntas do livro Meditação, Yoga e a Arte de Viver: a Aventura da Vida

 

Há sete mundos inferiores e sete mundos superiores dentro de nós. Estamos tentando transformar os mundos inferiores em mundos luminosos, mundos de perfeição; e, ao mesmo tempo, estamos tentando trazer os mundos superiores para a nossa manifestação exterior. Alguns dos mundos superiores nós já vemos operando no nosso mundo físico, na Terra. Primeiro vem o físico, depois o vital, depois a mente, então vem o plano de intuição, ou mente intuitiva, e a sobremente e supermente. Além da supermente existe Existência-Consciência-Deleite – Sat-Chit-Ananda.

Se souber como observá-los, poderá ver que alguns desses mundos já estão operando em você. Durante a meditação, você pode claramente enxergar que não é o mundo físico que entra em você. É algo mais: a mente elevada, sobremente, intuição ou algum outro mundo sutil. Mas apenas os Mestres espirituais e grandes aspirantes são conscientes do fato de que esses mundos estão se manifestando nas suas atividades diárias, justamente no mundo exterior. A pessoa comum, mesmo quando lampejos de intuição surgem na sua mente, não será capaz de saber que eles vêm do mundo da intuição. Contudo, cada pessoa, seja hoje ou amanhã, deve se tornar consciente desses mundos. E não só isso; ela deve manifestar a verdade, a luz, a beleza, a riqueza de todos os mundos superiores neste mundo.

*

Grandes Mestres espirituais de tempos imemoriais trouxeram os aspectos Sat e Chit. Mas Ananda é muito mais difícil de trazer. Alguns não o conseguiram de forma alguma. Alguns o trouxeram, mas ele durou apenas por alguns segundos ou minutos e retornou ao lugar de onde veio.

A Paz é acessível; podemos trazer Paz. A Luz e o Poder podem facilmente ser trazidos. Mas o Deleite que imortaliza a nossa consciência interior e exterior não foi estabelecido na Terra. Ele vem e vai, pois enxerga tanta imperfeição na atmosfera do mundo que não consegue permanecer.

A Paz é acessível; podemos trazer Paz. A Luz e o Poder podem facilmente ser trazidos. Mas o Deleite que imortaliza a nossa consciência interior e exterior não foi estabelecido na Terra.

Mesmo pessoas espiritualmente avançadas acabam ficando confusas. Elas sentem um êxtase interior que vem do mundo vital e pensam que é o Deleite verdadeiro. Mas não é. O verdadeiro Deleite vem do mundo mais elevado para a alma e, a partir da alma, satura o ser por completo.

Esse Ananda é absorvido diferentemente do deleite físico, o qual chamamos de prazer ou desfrutar. O Deleite supra mental é completamente diferente do mundo de prazer e desfrutar. Uma vez que receba mesmo uma gota desse Deleite, sentirá que o seu ser interior dança em alegria como uma criança da mais absoluta pureza, e o seu ser exterior sente Imortalidade na sua existência exterior. Caso sinta esse Deleite mesmo por um segundo, você lembrará por toda sua vida.

Ao nosso redor está o Jogo cósmico, o Teatro cósmico. O universo está cheio de alegria, alegria interior e alegria exterior. Quando a realização acontece, temos de sentir a necessidade de manifestar esse Deleite constante no nosso coração. Esse Deleita brilha, mas não queima. Ele possui uma intensidade tremenda, mas é todo suavidade e um Néctar absolutamente doce-fluente. Certo dia eu trouxe esse Deleite para o meu físico material de forma que, enquanto eu sorria, estava espalhando o Deleite mais elevado para cada um de vocês. Mas devo dizer que tudo desapareceu. Ninguém dentre os discípulos o manteve.

 

Pergunta: Se um ser humano pudesse transformar a sua consciência de forma a se identificar com a Consciência Universal, certamente esse ser humano merece ser reverenciado. Ao mesmo tempo, há malucos que ficam se dizendo seres elevados. Quais são as marcas que distinguem um santo de um louco?

Sri Chinmoy: Os santos estão embriagados de êxtase divino. Os grandes santos espirituais, quando alcançam sua perfeição espiritual, bebem néctar ambrosial. Eles vivem numa consciência de deleite, na qual sentem que o próprio mundo abriga o oceano espiritual de bem-aventurança. Alguns tentam trazer para cá esse Deleite altíssimo, Ananda, a partir de um plano muito elevado de onde o receberam, e por vezes acham difícil. Quando sentem a dificuldade em tocar o plano material carregando essa Bem-aventurança, eles podem perder seu equilíbrio interior e, por um curto período de tempo, podem ficar deslocados da consciência física. Eles podem não conseguir operar normalmente no plano físico nessa hora. Um buscador pode esquecer o seu nome, por exemplo, e talvez os outros digam que ele está maluco.

Contudo, um louco comum está mentalmente, vitalmente ou fisicamente deslocado. Ele nunca sabe o que fazer ou o que dizer ou como agir. Ele perdeu permanentemente a conexão entre o mundo físico e a sua própria existência na Terra. Portanto, sempre que ele diz ou faz algo, não há harmonia com a Consciência Universal. Isso é, ele não consegue se projetar na Consciência Universal em que todos vivemos. Estamos todos vivendo na Consciência Universal, apesar de não estarmos conscientes disso. Ao mesmo tempo, não estamos violando as regras da Consciência Universal. Um louco também está inconsciente da Consciência Universal, mas, ao mesmo tempo, ele viola as leis do universo, da Consciência Universal, devido à sua ignorância.

Assim como temos ideias pré-concebidas, o louco também tem ideias pré-concebidas, mas ele não consegue formular as suas ideais como nós. Nós temos um cérebro e conhecemos a nossa mente. Sabemos como um pensamento segue o outro pensamento. No caso de um louco, não é o que acontece. Todos os pensamentos e ideias dos mundos superiores e inferiores vêm até ele como um lampejo, e ele perde todo o seu equilíbrio interior e exterior. As forças e pressões dos outros mundos entram nele e encontram ali um canal aberto para se expressarem.

Um louco comum nunca estará aberto para a Luz ou para a Verdade ou para o que poderá salvá-lo, salvar a sua vida, a sua existência na Terra. O louco Deus-embriagado, no entanto, é o verdadeiro santo, louco de Beleza divina, Luz divina, Pureza Divina e tudo que há de divino. Ele quer possuir e ser possuído pela Divindade. Essa é a diferença entre um louco comum e um santo Deus-embriagado.

O louco Deus-embriagado, no entanto, é o verdadeiro santo, louco de Beleza divina, Luz divina, Pureza Divina e tudo que há de divino.

Deus é o Amigo eterno do homem. Quando o homem busca Deus, não como um pedinte, mas como um amigo, ele recebe Deus mais cedo. Ele recebe Deus na Sua mais doce Forma. Não somos os escravos de Deus. Somos Seus filhos, seus filhos escolhidos.

Páginas relacionadas

Glossário de termos utilizados por Sri Chinmoy nos... Notas explicativas (tiradas dos escritos de Sri Chinmoy)   AUM Aum é uma sílaba com um significado e poder criativo especiais. O Aum é ...
Sites de meditação no mundo O Centro Sri Chinmoy oferece cursos de meditação em diversos lugares do mundo. O intuito é compartilhar dicas, experiências e um estilo de vida...
Meditação e espiritualidade em família Vida em família Por Sri Chinmoy, do livro Meditação, Yoga e a Arte de Viver: a Aventura da Vida   O propósito sagrado e divino da família ...
Livro Bhagavad Gita – capítulo 9 – O S... do livro de Sri Chinmoy, Comentários sobre o Bhagavad Gita   Livro Bhagavad Gita - capítulo 9 - O Segredo Supremo   O segredo su...