Select Page

Sonhos espirituais

Todas as noites eu voo

Nas asas dos meus sonhos prateados.

– Sri Chinmoy

Sonhos espirituais

 

Esta é uma página da coleção de posts sobre sonhos espirituais extraídos dos escritos de Sri Chinmoy, do livro Sonhos. As outras páginas são:

 

O que é um sonho?

 O sonho de hoje é a realidade de amanhã. E por quê? É porque um sonho vem de um mundo vivo e palpável. Com a nossa consciência limitada, talvez não saibamos disso, mas, quando meditamos, entramos conscientemente em muitos mundos superiores. A realidade desses mundos entra em nós nos sonhos que temos.

O que aqui na Terra chamamos de sonho, em outro mundo é uma realidade. Ele é uma realidade em si, mas, quando chega até nós, sentimos que somos estranhos a ele, e ele estranho a nós. Quando temos um sonho, é como dois estranhos se encontrando pela primeira vez. Já que não se conhecem, talvez fiquem intrigados ou surpresos com o outro. Mas, uma vez que comecem a viver juntos, não mais são estranhos. No início, quando a realidade aparece e toca o plano terreno em que vivemos, sentimos que é um sonho. Mas se buscarmos a sua fonte, veremos que ela já é uma realidade na fonte. E, quando o sonho fica conosco por algum tempo, ele se torna uma realidade aqui também.

Uma pessoa comum vê um sonho como algo totalmente separado do resto da sua vida. Ela sente que está vivendo na realidade, ao passo que o sonho não tem nenhuma relação com a realidade. É algo doce, algo precioso, algo encorajador, algo inspirador, etc., mas a pessoa não sente que seja qualquer coisa a mais que isso. Mas, quando uma pessoa espiritual tem um sonho, ela pode sentir imediatamente que esse sonho é o precursor da realidade. Ele sente que cada sonho é um passo em direção à sua Meta divina.

 

De onde vêm os sonhos?

Há diversos mundos que não são visíveis aos olhos humanos, e os sonhos vêm desses mundos. Alguns sonhos acontecem no plano vital. Esses sonhos costumam ser confusos, porque não há muita luz no vital, que é o mundo do prazer. Nos sonhos do mundo vital, há muito do sensacional e uma grande excitação. Os sonhos que vêm dos mundos superiores são luminosos, mas não trazem consigo sensacionalismo. Quando temos um sonho do plano vital, veremos movimento constante. Será como um campo de batalha, onde tudo está sendo quebrado e amassado, e pessoas estão morrendo. Quando temos sonhos vindos dos mundos inferiores, o subconsciente ou, digamos, mundos inconscientes, temos de sentir que tais sonhos não possuem qualquer valor. Eles não conseguem transformar a nossa natureza. Eles não conseguem nos inspirar. Eles não conseguem nos dar qualquer esperança para a nossa satisfação futura. O melhor que podemos fazer é esquecê-los.

Se um sonho vem do plano mental, haverá uma certa serenidade. Não será uma serenidade completa, mas sim um pouco de serenidade, um pouco de calma e tranquilidade. Se o sonho vier do plano psíquico, sentiremos afeição, doçura, compaixão e cuidado pelas coisas ou pessoas que estamos vendo. E, se vier do plano da alma, o sonho será todo luz, deleite e paz.

Quando temos um sonho dos mundos inferiores, podemos não querer nos identificar com ele, pois talvez fiquemos muito assustados. O sonho vem até nós como uma ameaça. Mas um sonho que vem dos mundos superiores vem como um convite. Eles são precursores da realidade. Sentimos alegria interior e satisfação interior, e imediatamente sentimos nossa identificação com eles. Então devemos entrar nessa realidade e nos tornar a realidade.

Se nós meditamos, podemos conscientemente entrar nos mundos dos sonhos. Agora mesmo, para nós, os mundos dos sonhos são coisas vagas, incertas e até um pouco obscuras. Mas, se os estudarmos, podemos descobrir muitas coisas sobre eles.

 

 

O que podemos aprender com os nossos sonhos?

Podemos aprender muito com os nossos sonhos, mas temos de saber de que plano de consciência um sonho vem. Se vier de um plano vital inferior, teremos de descartá-lo. Se tivermos um sonho onde alguém está nos matando, ou estamos matando alguém, seria absurdo prestar atenção nele. Sonhos do mundo vital inferior são desimportantes e inúteis. Não há nada a se aprender deles.

Mas se o sonho vem do plano intuitivo, do plano psíquico, da mente superior, da supermente, da mente iluminada, devemos dar importância a ele. Se descobrirmos que temos a capacidade ou necessidade de auxiliar alguém na sua meditação ou elevar a sua consciência, então a esse tipo de sonho devemos dar atenção adequada.

Os sonhos que vêm até nós do plano superior, os bons sonhos, os sonhos divinos, esses nós devemos valorizar. Quando temos esse tipo de sonho, podemos tentar adiantar a sua transformação em realidade. Como pessoas espirituais, como buscadores, queremos criar paz. Esse deve ser o nosso sonho mais elevado. Invocaremos paz das alturas e ofereceremos paz à humanidade. Portanto, os nossos sonhos elevados, divinos, são muito bem vindos, mas os sonhos destrutivos, do vital inferior, devem ser descartados.

 

 

O que determina com o que sonhamos?

Os seus seres interiores, a sua aspiração e o universo inteiro dentro do seu coração espiritual determinam com o que você sonha. Mas, caso o seu coração aspirante não seja grande o suficiente para se identificar com a Consciência Universal, você sentirá que as coisas estão vindo de fora. O seu coração aspirante pode ficar maior apenas através de uma aspiração maior. Chega uma hora em que o coração aspirante se torna um com o Coração Universal, que é inundado de luz e deleite. Esse Coração determina todos os sonhos inspiradores, desde os mais significativos até os menos relevantes.

 

Se você acorda com um sentimento de felicidade e alegria, isso quer dizer que teve uma experiência espiritual durante um sonho, e a mente física não consegue se lembrar do sonho?

É bem possível. Você pode não lembrar porque a sua consciência física não tem acesso livre ao plano de consciência onde você teve a experiência. Após você ter uma experiência, você desce vários degraus de consciência antes de retornar à sua consciência comum do dia a dia. Se você é apenas um iniciante na vida espiritual, pode não haver conexão entre o primeiro degrau e o degrau onde você teve a experiência. Se você permanecer na consciência física durante o dia, a experiência que você teve no mundo interior não consegue operar adequadamente. A consciência física deve ser repleta de luz divina; apenas então ela será capaz de ter um livre acesso a todos os planos de consciência.

Quando você dorme, a alma se move livremente de um plano ao outro, como um pássaro. Se o físico quer observar o que a alma está fazendo, ele tem de ser moldado e guiado pela luz da alma. Muitas vezes não se consegue lembrar de forma consciente dessas experiências, porque não se percebe todos os estágios que existem entre o plano superior e o plano físico. A melhor forma de se tornar mais consciente e aberto é passar mais tempo em meditação. Se você hoje medita uma hora por dia, tente passar duas horas por dia meditando. Deus lhe deu vinte e quatro horas. Você pode passar mais tempo em meditação. Você pode conversar mais com Deus em silêncio, e em silêncio Ele pode agir mais poderosamente em e através de você.

 

Quando sonhamos, as nossas almas visitam diferentes planos de consciência ou costumam visitar os mesmos planos?

Quando sonhamos, as nossas almas visitam muitos planos de consciência diferentes. A alma é como um pássaro. Agora ela está num galho, depois pode ir para outro e, no próximo momento, pode ir a um terceiro galho. Cada vez que temos um sonho, há uma possibilidade para a alma adentrar diferentes planos de consciência. Se a alma quiser, ela poderá entrar no mesmo plano várias vezes. Mas, como nós, a alma gosta de variedade. Novidade nos traz alegria. Com a alma é o mesmo. Ao visitar novos planos de consciência, ela adquire mais luz e, ao mesmo tempo, oferece a sua própria luz. Há um dar e receber mútuo.

 

 

Como os sonhos se materializam? Eles podem ser impedidos de se materializar?

Não há uma regra certa. É preciso saber de que tipo de sonhos se trata. Às vezes são todos sonhos imaginários do plano subconsciente. Digamos que você quer comer frango, mas não pode. Talvez durante a noite o desejo possa ser transmitido num sonho e você sonha que está comendo frango. Esse tipo de sonho não é um sonho real. É só um desejo insatisfeito que vem do plano subconsciente.

Quando um sonho acontece no plano mental, o sonho tem de passar para o mundo vital para manifestação antes de vir ao plano físico. O mundo físico é o último mundo no qual podemos vê-lo.

Mas frequentemente acontece de o incidente acontecer no plano mental, mas nunca acontecer no mundo físico. Se o mundo vital não gostar dele, ele pode evitar que o incidente aconteça. O vital é como um guarda ou soldado. Se o vital permitir, tal coisa também acontecerá no plano físico. Mas frequentemente sonhos são destruídos no mundo vital antes de alcançarem o plano físico.

Os sonhos precisam de uma abertura para entrar no vital e, a partir de lá, se conseguirem mais uma abertura, eles adentram o físico. Quando o vital abre a sua porta, o incidente no sonho vem até o físico e se materializa. O mesmo acontece com uma doença. Primeiro ela acontece nas regiões mais profundas e, então, quando o vital permite, ela aparece no físico grosseiro. Se uma doença entra na mente, ela pode ser barrada de entrar no físico.

Os sonhos do mundo vital costumam tomar forma física rapidamente porque o mundo vital é o mais próximo do mundo físico. Quando temos sonhos nas regiões mais elevadas, no mundo da alma, eles costumam levar muito tempo para se manifestarem no físico.

Um sonho que vem do mundo subconsciente, onde estamos lutando e brigando e fazendo muitas coisas não divinas, não se materializará necessariamente. Mas um sonho que vem dos mundos superiores é como uma semente, que está destinada a germinar com o passar do tempo.

Os sonhos que temos nas primeiras horas da manhã, entre três e quatro horas da manhã, no Brahma Muhurta ou Hora de Deus, provavelmente se materializarão. Mas esses sonhos devem ser protegidos adequadamente contra pensamentos impuros. Se você tiver sonhos durante um eclipse lunar ou solar, esses sonhos costumam se concretizar também.

Muitas vezes temos sonhos dos quais não nos lembramos durante a manhã, mas o acontecimento que houve é realmente autêntico e irá numa certa hora se concretizar. E há também muitas coisas que não tomam forma ou formato primeiro no mundo mental ou psíquico. Muitos incidentes podem acontecer diretamente a partir da Consciência Universal. Quando o físico consegue expandir a sua consciência como as asas de um pássaro, muitas coisas acontecem. Ele pode extrair experiências diretamente da Consciência Universal, sem passar pela mente ou vital. E, se quiser anular algo no plano mental, você precisará ser capaz de entrar na Consciência Universal e obter energia de lá. Uma vez que tenha livre acesso à Consciência Universal, você poderá lutar no plano mental e ser bem sucedido lá.

 

 

A alma tem alguma relação com a manifestação dos nossos sonhos?

Se forem sonhos dos mundos inferiores, a alma tentará iluminar e elevá-los, ou então destruí-los. Sonhos sem luz podem criar tremendos problemas para nós. Se forem sonhos não divinos, a luz da alma luta contra eles e não quer que se manifestem.

Se forem sonhos sublimes, sonhos dos mundos superiores, a luz da alma adianta a sua jornada em direção à Terra. Quando as realidades dos mundos superiores querem vir para cá, a luz da alma as auxilia. Na verdade, como um ímã ela as traz e tenta manifestá-las. Se não forem manifestadas, quer dizer que sua hora ainda não chegou. Talvez o Divino dentro de nós sinta necessário que sejam manifestadas, ou o Divino em nós pode mudar o jogo e decidir que não devem ser manifestadas.

 

 

Os sonhos possuem alguma relação com a ambição?

Os sonhos podem facilmente ter uma grande relação com a ambição. Há dois tipos de ambição. Uma é a ambição dos conquistadores mundiais como Napoleão, César e Alexandre o Grande. Quando César disse: “Eu vim, eu vi, eu conquistei,” era uma ambição do vital. Mas a ambição espiritual dirá: “Eu vi, eu amei, eu me tornei.” Com a ambição vital tentamos atropelar e dominar os outros. Mas com a ambição espiritual tentamos nos tornar inseparável e universalmente um com os outros.

Digamos que você seja um piloto no mundo exterior. Enquanto voar, se sentir que a sua consciência está voando no céu da Infinidade e Eternidade, estará trazendo à tona algo infinito. Mas, se a sua ambição for apenas ir de um lugar ao outro no mundo, a sua meta será limitada. Não será uma Meta sempre-transcendente. Se você sonha em fazer algo que expande, algo que transcende, esse tipo de sonho incorpora ambição espiritual. Mas se o sonho tiver um início e um fim, se você conhecer a sua meta final, esse sonho não poderá levá-lo muito longe. A ambição que o amarra e a ambição que o solta, liberta ou lhe dá uma sensação de Infinidade são duas ambições diferentes. Quando você tiver um sonho, tente sentir se está entrando nos mundos de beleza, paz, luz e deleite, onde tudo cresce constantemente em medida infinita e tudo transcende a sua própria realidade. Se tiver esse tipo de sonho, esse tipo de ambição, a sua vida terrena poderá ser significativa e frutífera, e você se tornará um instrumento escolhido do Supremo, pelo Supremo.

 

Quão importantes são os sonhos?

 Depende inteiramente da nossa necessidade. Se precisamos de um sonho para nos inspirar a mergulhar fundo ou ir muito além da mente, os sonhos são de importância fundamental. Os sonhos divinos e espirituais cumprem um papel considerável na nossa vida espiritual. Saibamos também que tudo é um sonho antes de se manifestar no mundo de realidade. Se valorizamos a realidade, temos de valorizar o sonho também. Mas isso não quer dizer que precisamos ter milhões de sonhos para alcançar a Realização-Deus. Se tivermos apenas alguns sonhos significativos, ou mesmo se não tivermos sonho algum, isso não será empecilho ao nosso progresso espiritual.

 

Deveríamos tentar trazer os nossos sonhos para a nossa meditação?

Se você teve sonhos muito felizes e cheios de deleite, eles podem encorajá-lo e inspirá-lo a meditar. Mas pode acontecer também de você ter um sonho e então ficar imaginando tudo o que aconteceu no seu sonho, mesmo durante a sua meditação. Você pode dizer a si mesmo: “Eu vi uma bela Margem Dourada.” Então só ficará no mundo da lembrança mental, e o seu clamor interior não virá à tona. Se você tiver um sonho muito elevado e tentar ficar lá, a intensidade da sua meditação poderá ir embora. Ao invés, quando tiver um sonho inspirador, lembre-se de que a Margem Dourada não é um mero sonho, mas uma realidade, e diga: “Eu me esforçarei muito. Meditarei muito sinceramente para que eu possa ir alto, mais alto, altíssimo na realidade também, e não apenas no mundo-sonho.”

 

 Se tivermos um sonho bom sobre alguém, deveríamos contar à pessoa?

Quando você tem sonhos cheios de esperança, sonhos iluminadores, sonhos encorajadores, quando você vê que algo significativo acontecerá na vida de um amigo, você deveria conscientemente identificar a sua alma com a alma dele. E como você fará isso? Através da sua meditação. Ele sentirá alegria por causa do sonho em algum momento, pois o acontecimento pertence a ele. Mas essa alegria, pela Graça de Deus, você recebeu antes dele. Se for sábio, você mergulhará fundo dentro de si e assimilará a alegria que recebeu para, apenas então, tentar oferecer a ele interiormente, antes de ele receber diretamente de Deus. Caso contrário, se você contar à pessoa: “Tive um sonho maravilhoso sobre você,” ela ficará feliz por um segundo e depois irá duvidar de você, dizendo que foi uma alucinação da sua mente. Apesar da melhor intenção que você tenha, a mente de dúvida da pessoa jogará água fria na sua mensagem inspiradora. Portanto, ao invés de contar verbalmente à pessoa, tente oferecer conscientemente a alegria do sonho através da sua meditação. Nessa hora, ela receberá uma força adicional. Antes de ter a experiência do seu sonho, que pode ou não vir na forma de realidade, ela começará uma receber paz interior e alegria interior sem explicação, pois você começou a injetar isso nela, preparando-a para receber algo muito elevado, muito significativo e frutífero. De forma similar, quando você tem bons sonhos sobre si mesmo, mergulhe fundo e se prepare para estar pronto, para ser um instrumento adequado a receber a realidade como ela deve ser recebida.

 

Quando você aparece no sonho de alguém que não é seu discípulo, o que isso quer dizer?

Se um Mestre espiritual vem até alguém num sonho, isso significa que a alma daquela pessoa já reconheceu o Mestre. Como um ímã, a alma está atraindo o amor, cuidado, bênçãos e afeição do Mestre. Talvez depois de alguns dias ou meses, os olhos físicos serão capazes de ver o Mestre. A alma reconheceu o Mestre no plano interior e transmitiu essa verdade, essa realidade, à consciência do sonho. A partir da consciência do sonho, com o passar do tempo, a realidade virá até o plano físico. É uma ótima indicação de que cedo ou tarde a pessoa será capaz de encontrar o seu Mestre.

 

Por que os sonhos podem ser às vezes mais inspiradores do que a realidade?

 Todo ser humano é da opinião de que um sonho é infinitamente mais inspirador do que a realidade. O efeito imediato de um sonho na nossa mente é criar inspiração. Isso acontece porque, quando estamos no mundo do sonho, todas as capacidades da nossa alma estão à disposição. Podemos fazer muitas coisas e ver muitas coisas que não podemos fazer ou sentir durante nossas horas de vigília. Podemos livremente entrar em muitos reinos que não conseguimos adentrar em outras horas. Quando desenvolvemos a capacidade interior de entrar nesses reinos à vontade, veremos então que sonho e realidade se tornaram um. Então realidade e sonho serão igualmente inspiradores.

 

É possível que um sonho espiritual seja tão benéfico quanto a meditação?

Há um tipo de sonho que equivale a uma visão. Se você tem um sonho que indica um despertar iminente, um novo nascimento, esse tipo de sonho não é nada menos do que uma visão e tão bom quando uma meditação elevada. Esse tipo de visão ou realidade é uma indicação de grande progresso na jornada da nossa vida em direção ao sempre-transcendente Além e da mestria da nossa vida sobre o mar-ignorância. Se você tiver esse tipo de visão, se o Supremo assim quiser, Ele poderá lhe dar a realização parcial. Tal sonho não é apenas tão bom quando a meditação, mas em muito ultrapassa a meditação.

Páginas relacionadas