Select Page

Escolhendo um Mestre espiritual

Play video

 

Há uma grande diferença entre conhecer o professor e conhecer seus ensinamentos. Seus ensinamentos mostram ao mundo o que ele tem, mas o que ele é, é um outro nome para Visão da Eternidade. – Sri Chinmoy

 

O que é, como reconhecer, ensinamentos, discípulos e mais: a figura do Mestre espiritual

Logo abaixo está a página sobre escolher um Mestre, uma de uma sequência de artigos sobre o Mestre espiritual, escritos por Sri Chinmoy. As outras páginas são:

Fonte: livro de Sri Chinmoy, chamado O Mestre e o Discípulo: considerações sobre a relação Guru-discípulo.


o que e meditar mestreComo escolher um Mestre

Sri Chinmoy, do livro O Mestre e o Discípulo

Há três tipos de professores espirituais. Um diz: “Eu farei tudo por você, minha criança. Nada há para se fazer. Você pode dormir, pode beber, aproveitar a vida vital ou não fazer nada. Permaneça apenas no seu próprio mundo e eu lhe darei realização e libertação. Você não tem de fazer nada.” Seria bom permanecer a milhares de milhas distante desse tipo de Mestre espiritual.

O segundo tipo de professor diz, “Eu disse o que a Verdade é, e tentei inspirá-lo. Eu fiz a minha parte; agora, você tem de trabalhar duro para alcançar a sua meta. Agora deve descobrir a sua própria divindade interior.” Essa espécie de professor não resolve problema algum do discípulo. Esse professor espiritual é fraco, ainda que seja sincero.

E há o terceiro tipo de professor. Em sua absoluta unicidade com o Altíssimo, ele diz ao discípulo, “Minha criança, vamos andar juntos. Você deve aspirar, e eu trarei Graça e Compaixão infinitas do Supremo. Eu tenho a minha própria salvação, mas andarei junto com você e o guiarei. Vamos trabalhar juntos.” Esse é o verdadeiro professor espiritual.

Como pode um aspirante saber se um Mestre que professa ser realizado o é realmente? Um Mestre espiritual Deus-realizado não é alguém com asas e auréola para identificá-lo. Ele é normal, exceto que em sua vida interior ele tem Paz, Luz e Beatitude. Então, se procurar um Mestre espiritual esperando algo diferente de Paz, Luz, Beatitude e Poder sem limites, ficará desapontado. Todavia, deve saber se é capaz de julgar. Se não sei coisa alguma sobre ciência médica, como poderei avaliar um grande médico? Somente outro médico saberia como julgá-lo adequadamente.

Em sua vida espiritual, um buscador verdadeiro que tenha aspiração e dedicação sinceras já alcançou um pouquinho de Luz interior. Devido à sua aspiração, Deus lhe concedeu um tantinho de Luz, e, com esta Luz, ele está fadado a ver e sentir algo em um verdadeiro Mestre espiritual. Se alguém é verdadeiramente avançado na vida espiritual e está fazendo progresso rápido em sua jornada interior, então sua aspiração é o melhor juiz para decidir se um Mestre espiritual é genuíno ou não. O melhor juiz é a aspiração sincera de cada um.

Um Mestre não realizado pode enganá-lo por um dia, um mês ou alguns anos, mas não para sempre. Se a sua aspiração sincera é cem por cento pura, e você não quer nada senão Deus, então Deus não o deixará indefinidamente com um Mestre não-realizado e insincero. É impossível!

Frequentemente aparece quem tenta julgar se o Mestre é perfeito ou não. Mas eles podem facilmente errar. Se o Mestre é genuíno – ou seja, se realizou Deus – o que pode parecer-lhes fraqueza no Mestre não é o que os retardará em sua auto-realização.

As chamadas fraquezas humanas são uma coisa; mas se o Mestre é indulgente quanto ao vital inferior, quanto à vida sexual, então o Mestre é muito ruim, sendo melhor deixá-lo. Se não sente pureza no Mestre, se não vê nele a perfeição da sua vida vital inferior, a vida emocional, então deve manter grande distância dele. Pois como conseguiria dele a perfeição para a sua própria vida vital?

Alguns Mestres são genuinamente realizados, e mesmo assim alguns de seus discípulos os deixam. Mas você acredita que um Mestre não seja realizado só porque algumas pessoas o deixaram? Não, são as imperfeições e limitações dos aspirantes que os afastam de seus Mestres. Alguns atingem um certo ponto e, então, seus egos ou seus vitais vêm à tona e eles não querem mais prosseguir.

Após aceitarem a vida espiritual por dois, seis ou mesmo dez anos, algumas pessoas se cansam. Se alguém se cansa do caminho espiritual, não é necessariamente porque esse seja o Plano do Supremo. Assim, não julgue um Mestre apenas porque muitos o deixam. Muitos partirão, mas muitos outros virão.

Mesmo se um Mestre é genuíno, pode não ser o Mestre escolhido para você. Como poderá saber se encontrou o seu próprio Mestre? É assim: pode haver muita gente à sua volta, mas quando vê uma determinada pessoa, você imediatamente sente alguma alegria. Isso significa que a sua alma tem alguma conexão com essa pessoa. Dez pessoas podem estar bem à sua frente, e por nove delas você nada sente. Mas o rosto de uma pessoa ou sua mera presença lhe trazem alegria. Nesse caso, é porque essa pessoa tem alguma conexão interior com você.

Se há uma conexão interior com um Mestre genuíno, é provável que ela tenha existido por muitas encarnações. Então, no momento que você vê esse Mestre, sente alegria ilimitada e transbordante. Todo o seu ser fica carregado de luz e alegria interiores. Você sente que a sua vida finalmente encontrou sua origem no Mestre. Você sente que é uma folha e o Mestre, a árvore. O Mestre espiritual que lhe traz alegria imediata, espontânea e ilimitada é o seu Mestre. Às vezes, se tiver sorte, poderá encontrar o seu Mestre na primeira vez que vir um Mestre espiritual. De outro modo, poderá ter de ir a vários Mestres espirituais.

Quando encontrar um Mestre cuja simples presença lhe traga imediatamente inspiração, alegria, paz e deleite, então deve fazer a si mesmo a última e absolutamente mais importante pergunta: “Se este Mestre não me der realização, libertação ou qualquer coisa que eu queira, ainda assim estou disposto a dar-lhe meu amor, minha devoção, minha entrega, minha vida?” Se a resposta for: “Sim, eu nada quero dele, exceto a permissão para servi-lo e dar-lhe o que tenho e o que sou”, saberá com certeza que é ele o seu Mestre; certamente ele é o seu Mestre.

Há um ditado, “Quando o aluno está pronto, o professor aparece.” Porém, ocorrem muitas vezes, centenas de vezes, em que o Mestre aparece, o discípulo também está pronto, mas há um véu de ignorância diante do discípulo. Ele não vê a luz, embora a luz esteja bem diante dele. Se o seu próprio professor parar diante de você e abençoá-lo vinte vezes, mesmo assim poderá não o reconhecer. O professor reconhece você, mas ele não pode dizer: “Você é meu aluno”, porque poderá ser mal interpretado. Você poderá pensar, por exemplo: “Eu tenho milhões de dólares. Por isso ele está dizendo que sou seu discípulo. Ele está pedindo-me para ser seu discípulo apenas para pegar meu dinheiro ou isto ou aquilo de mim.”

Neste mundo, apenas quando descobrimos algo por conta própria sentimos que aquilo é verdadeiro. Quando outro alguém descobre algo e nos diz, nós desacreditamos, duvidamos. Se a descoberta de que eu seja o seu Mestre vem de dentro de você mesmo, então você sente que é sua própria descoberta; mas se eu o disser, você pensará ter todo direito de duvidar de mim. Vi muitos buscadores sinceros que estavam destinados a serem meus discípulos e, cedo ou tarde, de fato tornaram-se meus discípulos; mas algo os impedia de me aceitarem naquela época. Dizer-lhes não teria acelerado seu reconhecimento de quem eu sou. Ao contrário, apenas os teria atrasado mais. Assim, fico em silêncio, para que no tempo certo eles possam ter a satisfação da própria descoberta.

Na vida espiritual, há professores que podem instruí-lo por alguns anos e há outros que podem ensiná-lo desde o jardim de infância até os mais avançados cursos universitários. Eles têm a capacidade para alçá-lo aos mais altos níveis. Mesmo que um professor seja sincero, se não tem capacidade para conduzi-lo ao topo, naturalmente você o deixará quando chegar tão longe quanto ele puder levá-lo. Contudo, existem os assim chamados Mestres que não têm capacidade alguma para ensinar, mas que tentarão conservar você próximo o máximo que puderem, apenas para que possam explorá-lo. Todavia, é você quem tem de saber se o professor é capaz de ajudá-lo. O seu ser interior lhe dirá se você está progredindo satisfatoriamente ou não. No momento que sentir que, apesar da sua sinceridade, não está mais progredindo, não perca mais o seu tempo. Você tem todo o direito de deixar o professor à hora que quiser.

Entretanto, o que ocorre algumas vezes é que o professor tem conhecimento verdadeiro, genuíno, mas o aluno não quer apreender a verdade do jeito que o professor quer ensinar – ou melhor, do jeito que o Divino quer que o professor ensine. Com frequência, infelizmente, quando o professor espiritual diz ou desvela a verdade, é mal interpretado pela mente duvidosa do aspirante. O aspirante faz uma pergunta, mas a dúvida na sua mente não lhe permite aceitar a resposta. Então, não importa quão verdadeira, relevante e sublime a resposta possa ser, ela será inútil para o buscador.

Alguns aspirantes mudam de professor quase todo mês. Hoje, este professor, amanhã, aquele, no dia seguinte, algum outro. Eles são extremamente inquietos e nunca alcançarão a iluminação.

Um professor é como um barco. Quando está num barco, fica a salvo. Mas, se tiver uma perna num barco e outra perna em outro barco, então cairá no mar da ignorância. Quando você está sentado com segurança em meu barco ou no barco de algum outro, então o barqueiro é capaz de conduzi-lo à outra margem. Uma vez alcançado o destino, verá que todos os barcos chegaram por diferentes rotas. A meta é uma só, mas os caminhos são muitos. Você não pode mudar constantemente de caminho e esperar ter a mesma velocidade. O buscador deve ser sábio, cuidadoso e discriminador.

Roma é um lugar, porém há muitas estradas para se chegar lá, e cada viajante toma uma estrada diferente. Cada Mestre está certo a seu próprio modo. Mas, uma vez que escolheu um Mestre, você tem de aderir ao caminho dele com total dedicação e entrega. Porque você pode viajar somente por uma estrada de cada vez.

Um Mestre ensina tal coisa, outro Mestre ensina outra e um terceiro Mestre ensina algo completamente diferente. Você pode encarar como diferentes matérias numa escola: história, geografia, filosofia, e assim por diante. Mas eu gostaria de dizer que na vida espiritual há somente uma matéria: Deus-realização. Para este assunto, o mais importante, o mais profundo assunto, você deve seguir um caminho. Se for o caminho da devoção, ótimo. Se for o caminho do conhecimento, ótimo. Se for o caminho do serviço desinteressado, ótimo. Também, poderá abordar todos num só. Quando realizar Deus, todos os caminhos se tornarão um; os três mais importantes caminhos, devoção, conhecimento e serviço desinteressado inevitavelmente se fundem num só.

Não podemos dizer que nosso caminho seja, de longe, o melhor para todos. Não sejamos tolos. Podemos, apenas, dizer que nosso caminho é o caminho do amor, devoção e entrega. Se outros querem aceitá-lo, ótimo. Nosso caminho é o melhor para nós e permanecemos nele porque é o caminho que o Supremo deseja que sigamos. Os outros também têm de encontrar o melhor caminho para si.

O caminho espiritual, a jornada da vida interior, é um processo para toda a vida. Somente se estiver disposto a seguir através desta longa disciplina você encontrará o seu verdadeiro Mestre. Quando estuda, precisa ter seriedade para passar nos exames. Do mesmo modo, deve ter extrema seriedade e sinceridade na vida espiritual. Primeiro busque em seu interior profundo e sinta se quer um Mestre espiritual para guiá-lo pelo resto da vida, e se poderá ouvi-lo totalmente, com todo o coração e incondicionalmente. Se sente que pode seguir um Mestre com fé e devoção e dar a sua vida ao caminho, então o Mestre está fadado a aparecer para você. Se sente que não existe nem pode existir sem a vida espiritual, então tenha certeza de que você está pronto para a vida espiritual. Se sente que não pode continuar na Terra sem paz interior, sem alegria interior, sem a orientação viva de Deus através de um Mestre espiritual – se chegou a este estágio – então está fadado a conseguir um Mestre espiritual em breve.

Não há um único buscador na Terra que fique sem um professor, se estiver desesperadamente necessitado de um. Se sua aspiração é intensa, se seu clamor interior está ascendendo constantemente, como pode Deus permanecer indiferente? Foi Deus quem acendeu a chama da aspiração nesse buscador, e será Deus quem trará um Mestre para ele ou o colocará aos pés de um Mestre espiritual.

 

 

*

 

A mente batalhadora de um buscador precisa do caminho certo.

O coração inquiridor de um buscador precisa do professor certo.

A alma aspirante de um buscador precisa do Deus certo.

 

*

 

Não se mate preocupando-se

Com falsos professores.

O seu abrigo-sinceridade o protegerá

E definitivamente também o ajudará

A encontrar um verdadeiro professor.

 

*

 

Somente um falso professor espiritual

Pensa e sente

Que apenas ele é perfeito,

E que os demais

Professores espirituais

São todos falsos.

 

*

 

O seu Mestre não se esconde de você.

São os seus olhos sem visão

E a sua mente preguiçosa

Que não o permitem reconhecê-lo

Mesmo quando ele está em pé,

Bem à sua frente,

Com o Olho-Compaixão de sua Eternidade.

Páginas relacionadas